CONSTIPAÇÃO NA INFÂNCIA.

Atualizado: Ago 10


Nutrição, constipação na infância, dicas, alimentação.
Imagem ilustrativa.

O intervalo entre as evacuações varia com a idade. De acordo com Mauro Batista de Morais, presidente do departamento de Gastroenterologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, na idade escolar, na adolescência e nos adultos, o mais comum é que as idas ao banheiro ocorram de uma a duas vezes por dia, sem dor ou dificuldade, e que as fezes eliminadas sejam pastosas. Já no recém-nascido, o padrão é diferente. É muito raro um lactente em aleitamento natural exclusivo apresentar constipação intestinal.


A constipação é muito comum em bebês (quando o mesmo não está em aleitamento natural exclusivo), principalmente no primeiro ano de vida.


Nas primeiras semanas de vida, a cada mamada, pode ocorrer uma evacuação. Ou seja, cerca de oito vezes por dia.


A prisão de ventre aparece quando são introduzidos alimentos diferentes do leite materno na alimentação do bebê. É nesta fase que a criança passa a apresentar fezes duras, eliminadas com esforço e/ou dor, e que podem surgir manobras para evitar a evacuação.


Mais de 90% dos casos de constipação intestinal na infância são de natureza funcional. Muitas vezes é preciso apenas reeducar a criança para o uso do banheiro, além de cuidados com alimentação. E, em alguns casos, o uso de medicamentos poderá ser indicado. A duração do tratamento é variável, mas pode se estender por meses. Por isso é sempre importante procurar pelo médico pediatra e um nutricionista para as devidas orientações.


Para evitar esse desconforto, o indicado é garantir o consumo adequado de fibras. Para que esta medida funcione, tem que haver um consumo de água ideal.

Dicas:

- Invista em alimentos ricos e fibras: vegetais folhosos, frutas como laranja, mamão, ameixa, melão e cereais integrais.

- Observar se a criança come algum alimento específico que causa a constipação.

- Oferecer água várias vezes durante o dia.

- Estimular a prática de atividade física.

- Reeducar o hábito de evacuar. Deixa a criança a vontade ao ir ao banheiro.


E lembre-se sempre, de observar os hábitos alimentares de seu filho e sempre em caso de dúvida, procure um profissional qualificado!


Fonte: Nutricionista Paula R. Tonetto CRN3 48578 Centro Integrado UNION. Ibitinga/SP