ENTENDA COMO É FEITA UMA CESARIANA

A cirurgia cesariana proporciona o nascimento do bebê através da incisão no abdômen e no útero da mulher, ela pode ser agendada pela mãe e pelo médico obstetra com base na gestação ou, em algumas vezes, devido a alguma complicação ou impedimento do parto vaginal, através da cesária de emergência.


Cerca de 55% dos nascimentos no Brasil ocorrem através das cesarianas. Algumas mulheres já sabem que vão precisar de uma cesárea logo de cara. O recomendado, se possível, é esperar pelo menos até às 39 semanas de gestação para fazer uma cesariana eletiva.


Algumas condições que uma cesariana costuma ser previamente programada:


- Cesariana anterior muito recente ou mais de duas cesarianas anteriores pelo risco de ruptura do útero durante o parto;


- Histórico materno de cirurgias uterinas invasivas (retirada de alguns miomas);


- Gestação múltipla de três ou mais bebês ao mesmo tempo;


- Bebê grande para a idade gestacional;


- Bebê em posição sentada ou atravessada.


Fonte: bebe.com.br

Como uma cesariana é preparada?

Quando a cesariana já está marcada, é recomendado que não se coma nada durante algumas horas antes do parto.


Depois disso, a mulher veste um avental hospitalar e os pelos encontrados na região que o corte é feito são raspados. Geralmente, são tirados anéis, brincos, pulseiras e até piercings (de qualquer lugar do corpo).


O uso de maquiagem excessiva e de esmalte escuro na mão não é recomendado para que a pele possa ser monitorada durante a operação.


Óculos e lentes de contato também devem ser retirados. Antes da cirurgia, são conferidas informações de saúde (tipo sanguíneo e possíveis alergias).


É direito da grávida ter um acompanhante na hora do parto, a não ser que haja alguma emergência médica que impeça a presença de uma pessoa.


Durante a cesária:


É aplicada uma anestesia peridural ou raquidiana onde a mãe permanece acordada e acompanha a chegada do bebê.


Além disso, é colocado um acesso venoso e uma sonda para a urina. A frequência cardíaca da mãe é acompanhada por um monitor e a área abaixo dos seios é isolada durante a cirurgia.


A anestesia é aplicada na área das costas com um anestésico local que alivia a dor da picada e a mulher é monitorada a todo tempo para que o anestesista possa solucionar rapidamente um eventual problema.


A área de corte é limpa e preparada, o obstetra faz um corte pequeno e horizontal na pele acima do osso público da mãe, um pouco abaixo da “linha do biquíni” e, logo em seguida, outro na parte inferior do útero.


Várias camadas de tecido e músculos são cortados para chegar até o útero. O líquido amniótico pode fazer alguns barulhos estranhos e, então, o bebê é retirado. Tudo isso acontece em minutos.


Depois, o pediatra avalia rapidamente o estado do recém-nascido e é colocado em contato pele a pele com a mãe já na primeira hora de vida para a primeira mamada.


Enquanto isso, a placenta também é retirada e os pontos são dados nas várias camadas de tecido e isso demora cerca de 30 minutos. Nesse período, a mãe ainda está consciente e pode ficar com o seu bebê no colo.


Depois da cesariana:


Quando a cirurgia termina, a mulher fica sob estado de observação intensa até que a anestesia passe, já que demora cerca de 2 horas para o movimento das pernas voltarem ao normal.


O pediatra avalia o estado do bebê e, se for necessário, ela recebe oxigênio ou é levada para a UTI neonatal para os primeiros cuidados. Se estiver tudo bem, ela fica com a mãe ou é encaminhada para o berçário.


Geralmente, muitas mulheres sentem frio nessa hora, devido à queda de temperatura do corpo durante a operação, porque a anestesia afeta a capacidade do organismo em regular a temperatura do corpo.


Outras mulheres ainda costumam apresentar muita coceira como efeito colateral, por isso, a equipe médica pode administrar anti-histamínicos para aliviar o desconforto.


Após a cesária, a mulher recebe analgésicos fortes para amenizar a dor do corte para aliviar os sintomas e auxiliar na recuperação.